Popcorn

Rocketman: Elton John transparente e explosivo

22 de junho de 2019

Categoria: Filme;
Gênero: Biografia, drama, musical;
Duração: 121 minutos;
Roteiro: Lee Hall;
Sinopse: A história de ascensão do cantor Elton John, de um aluno prodígio da Academia Royal de Música até uma lenda do rock nos anos 70. (Filmow)

Musicais geralmente costumam ser grandiosos, vibrantes, fabulosos e contagiantes, mesmo que alguns sejam considerados (com razão) cafonas. Por isso, Rocketman é um musical de respeito: drama, romance e comédia. Tudo isso baseado em fatos escandalosamente reais, que é a vida de um dos mais emblemáticos cantores britânicos de todos os tempos, Elton John.

Quem interpreta o astro do rock é o jovem Taron Egerton. Provavelmente deve conhecê-lo do filme Kingsman: Serviço Secreto. Confesso que fiquei genuinamente surpresa com a performance musical dele, mesmo já tendo ouvido algumas músicas da trilha sonora previamente. Afinal, Elton John é dono de inúmeros sucessos e interpretá-lo não é para qualquer um. Entretanto, decididamente Taron Egerton foi a escolha mais do que acertada.

Além disso, outros destaques são Jamie Bell, que atua como o antigo amigo e compositor Bernie Taupin, e Richard Madden, que faz o diretor musical John Reid. O curioso é que em Bohemian Rhapsody, cinebiografia do Queen, Reid também aparece e é interpretado por Aidan Gillen, famoso por ser o Mindinho de Game of Thrones. Já em Rocketman, foi escolhido o ator que interpretou Robb Stark na mesma série. Fantasia e realidade se confundem simultaneamente até nos gêneros televisivos e cinematográficos. A arte sempre imita a vida, não dá para fugir disso de forma alguma.

Drogas, sexo e rock and roll

Assim como muitos astros da música, Elton John foi dependente químico, abusando de todo tipo de substâncias, principalmente cocaína e álcool. As farras foram amplamente noticiadas na época. Também teve uma vida sexual extremamente agitada e comentada. O caso amoroso com John Reid é retratado de forma explícita, porém não de maneira vulgar. Inclusive isso rendeu a censura das cenas de sexo do filme na Rússia, país conhecido por ser altamente homofóbico.

Rocketman é explicativo: é possível notar claramente por quais motivos e como Elton John perdeu o controle da própria vida. Nada está retratado de forma implícita. A infância privada de carinho paterno, negação sobre a homossexualidade, acessos de raiva e a dificuldade em lidar de maneira prática com problemas afetivos são mostrados de forma aberta e sincera. Não sentir empatia pela criança e adolescente, que é constantemente desprezada e busca refúgio na música, é impossível. E não se irritar levemente com o adulto raivoso é bem difícil, confesso.

“This is your song”

A trilha sonora é maravilhosa, obviamente. De fato, Taron Egerton mostrou majestosamente o quão versátil é. A minha cena favorita é quando começa a tocar Your Song pela primeira vez. É fofo e emotivo, assim como a letra. Outro momento impactante (e até mágico) é no qual Elton toca Crocodile Rock no primeiro show em solo americano. É difícil assistir e não cantar alto e nem dançar. Não consegui ficar paradinha assistindo, pelo menos.

Quando começa a música que dá nome ao filme, é possível notar que a partir dali começará o momento de transformação da vida de Elton John. O contato com a criança interior, perdoar o que foi feito contra ele e assumir as responsabilidades para estar no auge, tanto profissional como pessoal, são contados de forma efetivamente sublime pelas canções marcantes. Assim como o declínio pessoal de Elton John é nitidamente mostrado, o processo de cura também é. A narrativa alterna com momentos descontrolados e de percepção sobre a vida desregrada que Elton John levava.

A mensagem de Rocketman é otimista: todo mundo pode encontrar o amor que tanto procura e merece. E não é necessariamente só o amor romântico. Os amigos e as lembranças com a avó ajudam-no a se reerguer. Felizmente, ele ainda está de pé, traduzindo livremente uma das mais famosas músicas. E espero verdadeiramente que continue assim por um bom tempo.

 

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: