Check-in

Viajar sozinha: pontos positivos e negativos de estar só

11 de março de 2018

Foto da asa do avião - Viajar Sozinha

Viajar é sempre maravilhoso. Geralmente para encontrar parentes que moram em outra cidade, conhecer novos lugares, férias em família, entre outros motivos. Mas, vai chegar um determinado momento em que você precisar (ou vai querer) viajar só. E aí, começa o momento em que tem que aprender a se virar por conta própria. Eu sou a caçula de 5 filhos por parte de pai e de duas filhas por parte de mãe. Se você pensou que sempre fui super protegida, que os meus pais me levavam e buscavam em todos os lugares, que tinha horário para voltar e afins: você acertou em cheio!

Nos dois últimos anos, 2013 e 2014, comecei a ter que me virar um pouco mais. Como pegar ônibus para a faculdade, ir sozinha para o trabalho, fazer almoço por que a mãe não teve tempo. Com esse crescimento, óbvio que quis conquistar mais espaço no mundo.

Eu já tinha viajado, quando criança, com tios para a casa da minha avó. E também já tinha ido para a casa da minha amiga de infância que morava no interior. Sempre era por poucos dias e os meus pais ligavam o tempo todo. Aos 17 anos, no meio de 2013, arrumei a mala e fui para Campinas (SP). Só que fui ficar com os meus tios e minha avó paterna. O que acaba não contando muito comigo viajar sozinha, por que eu ainda estava sob a supervisão da família. Mas, ainda assim, deu muito frio na barriga de ficar em aeroportos completamente só!

Em abril de 2014, teve um feriado de pascoa que emendou com o de Tiradentes. Eu aproveitei a oportunidade, consegui passagens para Manaus (AM) e fui ficar na casa do meu melhor amigo. Nós estudamos juntos no ensino médio, mas ele se mudou para lá para fazer faculdade. Nossas mães já se conhecem, então foi mais fácil negociar a minha ida. Passei só 3 dias, mas andei por tantos lugares com o Leo, que valeu cada segundo. Essa viagem durou três dias e foi o primeiro passo para viajar sozinha com frequência. Durante todo o mês de janeiro de 2015, foi minha cartada final para aprender a me virar só. Fiz o roteiro Campinas, Caçapava, São Paulo e Rio de Janeiro. Nesse meio tempo aprendi algumas coisas sobre viajar sozinha. E, como tudo na vida, existem os pontos bons e ruins de estar só.

Foto da placa do Morro da Urca - Viajar Sozinha

O bom de viajar sozinha:

Você conhece o lugar que quiser! Acabou aquela história de ir no museu do futebol por que seu pai quer. Aqui é você quem faz o roteiro e você vai no museu que quiser. Aprender a andar por outras cidades é f-u-n-d-a-m-e-n-t-a-l. Conviver com a cultura local, aprender a pegar transporte público, saber quais as áreas mais perigosas para andar… São coisinhas que você aprende na prática do dia-a-dia da viagem. Viajar sozinha faz com que você aprenda a economizar, gastando só com o necessário. Se você vai mochilar e está levando pouca roupa, em prol de uma mala mais leve, saber como manter as roupas limpas vai te ajudar muito.

Aprenda a fazer planejamento da viagem, do roteiro, dos passeios, etc. É sempre bom ser surpreendido com lugares e experiências não planejadas. Mas, ter um roteiro é fundamental para não se perder e garantir o maior aproveitamento da viagem. Fazer novos amigos é o melhor bônus de viajar sozinha. Essa experiência faz com que você esteja mais aberto a conversar com as pessoas ao redor, sejam elas turistas, como você, ou não. Conhecer novas tradições e culturas, é outro benefício que eu amo. Nós enriquecemos com cada aprendizado que levamos de outras culturas, sendo do mesmo país ou não.

Foto com duas amigas no Beco do Batman - Viajar Sozinha

O lado negro de estar só: 

Estar sozinha também é problema. Quando os trechos da viagem são longos e você não tem com quem conversar, pode ser cansativo e estressante. Para ajudar, leia um bom livro, ouça muita música ou qualquer outra coisa que você goste de fazer, como ver séries e escrever. A falta de companhia também vai complicar quando você encontrar o cenário perfeito para uma foto e não ter alguém para te ajudar a tirar fotos legais de/com você. Mas, esse é o momento certo para você fazer amizades novas e registrar isso.

Ser mulher e viajar sozinha também é problemático pelos cuidados extras que temos que tomar. Como não ir sozinha para certos pontos das cidades, não ficar até muito tarde na rua. Evitar andar com o celular em mãos, não dar bobeira em certos lugares. Sei que é injusto e que gostaríamos de poder viajar tranquilas, mas conhecemos a sociedade em que vivemos, então todo cuidado é pouco, ok?

Foto de São Paulo - Viajar Sozinha

Dicas úteis:

Na hora de fazer a mala, se você estiver indo para um lugar quente, escolha roupas que leves, que secam fácil e não esquentam demais. Dê preferência por levar jeans escuros, pois demoram a sujar e possibilitam você usar várias vezes. Leve poucas roupas se for de mochila por várias cidades. Facilita muito, pois você não precisa despachar ou por nas bagagens dos ônibus, é só levar como bolsa de mão. Assim, você não perde tempo em aeroportos e rodoviárias. Não esqueça de tirar uns minutos da viagem para olhar a paisagem. Seja das nuvens (no caso de viagem de avião), serra, mar, árvores, tanto faz! Aproveite a oportunidade de estar conhecendo um lugar novo. Registre! Seja como diário de bordo, tirando bastante fotos e gravando vídeos. Sempre vai ser bom recordar esses momentos.

Faça uma super playlist, de preferência com músicas animadas. Leve sempre um livro ou uma revista na bolsa, ajuda a passar o tempo das horas de conexões e viagens longas. Pesquise eventos e passeios, de acordo com os seus gostos, que vão acontecer nas cidades visitadas. Estipule metas e objetivos para a viagem: como visitar amigos que só conhece pela internet ou conhecer pelo menos cinco livrarias da cidade. Deixe alguém avisado sobre a sua viagem. Com o endereço e telefone de onde você vai ficar. Se algo acontecer, a pessoa já vai ter um norte de onde procurar você. Tenha um bloco de anotações S-E-M-P-R-E com você. Anote os seus principais contatos, endereços de lugares que você quer conhecer, horários dos compromissos que marcar. Isso evita que você fique com o celular na mão dando bobeira ou que fique sem comunicação caso perca o telefone.

Então é isso, espero ter ajudado um pouquinho e se você conhecer outras dicas, comenta aí que vamos querer saber!

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply Mochilar: 6 coisas que você precisa saber antes de embarcar | Ré Menor 6 de julho de 2018 at 07:54

    […] a andar com bagagens mais leves e me tornar perita em pesquisa pré-embarque. Ou seja, já venho treinando sempre que posso. Então, essa viagem serviu como mais um treinamento. Passei por algumas situações ótimas por […]

  • Comente aqui: