Li, Gostei, Resenhei

A probabilidade estatística do amor à primeira vista – Jennifer Smith

15 de abril de 2019

Autora: Jennifer E. Smith;
Editora: Galera;
Páginas: 224;
Sinopse: Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica, capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito, muito relativo. Passada em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia. (Skoob)

A probabilidade estatística do amor à primeira vista pode parecer um livro bobo quando você o olha pela primeira vez. Ou até quando você resolve ler sua sinopse. Onde só obtemos as informações de que Hadley e Oliver vão viajar lado a lado e, fatalmente, se apaixonar no percurso. O que seria isso, se não a descrição perfeita para um roteiro de comédia romântica adolescente? Mas, se você confiar em mim e se permitir ir além disso tudo. Se você se permitir abrir o livro e perder algumas horas lendo seus primeiros capítulos, vai mudar de ideia. Afinal, dessa forma você vai conhecer a fundo os personagens e a trama em si. E só assim vai conseguir entender que A probabilidade estatística do amor à primeira vista pode ser um livro profundo e cheio de verdades.

Hadley é a protagonista perfeita para te envolver na história

Aos 17 anos, Hadley está saindo pela primeira vez dos Estados Unidos e indo para Londres, para o casamento do seu pai. Sendo que não o vê há um ano. E, mais do que isso, existem muitas feridas abertas com relação a separação de seus pais. A maioria delas são direcionadas ao pai. Mas, como um presente do destino, Hadley se atrasa 4 minutos e perde o voo. O que acaba desencadeando um encontro inesperado com um britânico lindo, Oliver, e tornando a viagem mais leve.

Mas, por mais que a história pareça girar em torno do casal e das 24 horas que se seguem desde o momento que se encontram pela primeira vez. Passando por todo o voo de 7 horas em que sentam lado a lado ou os pequenos encontros durante o dia seguinte, a trama é mais profunda. E, se você não estiver atenta o suficiente, pode ser que a questão toda passe despercebida. A probabilidade estatística do amor à primeira vista fala sobre resolver as próprias questões, fechar feridas, liberar perdão. E, é claro, amor. Todas as formas de amor. E como só ele é capaz de curar certas situações.

Sou só amor

Em 24 horas acompanhando Hadley e Oliver, é possível ver o quanto eles amadureceram. É possível até amadurecer junto. Mas, acima de tudo, a gente fica com o coração repleto de boas energias e amor por cada detalhe da história. Mesmo que você chore de soluçar em algumas partes. É, definitivamente, o tipo de livro que vai ter significados diferentes dependendo de quem o lê. Mas, garanto, sempre vai ser bom.

Observação aleatória: sei que pode parecer absurdo uma história de amor assim. Mas, fiz um projeto com histórias de amor reais em 2016 e é totalmente possível, viu?

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: