Azar Crônico

Que tipo de amigo você tem sido?

20 de fevereiro de 2020

Me conta, que tipo de amigo você tem sido? Que tipo de amigo você gostaria de ter? E que tipo de amigo você gostaria de ser? Hoje tive duas conversas que me levaram a refletir sobre amizade. Em uma delas, falando com uma amiga, sobre uma conhecida em comum, percebemos o quanto ela nos colocava em posição de julgamento o tempo todo. O quanto o relacionamento de uma não era bom aos olhos dela e o quanto ela soava esnobe para mim. Em outra conversa, com uma conhecida, ela me confidenciou sobre como as pessoas se afastaram dela, por não entenderem a personalidade de seu marido. E o quanto isso doeu, mas como hoje ela consegue perceber que todas as amizades que “perdeu”, foram um belo livramento.

Essas duas conversas me levaram a refletir sobre quando foi que nós, seres humanos, assumimos posições tão julgadoras. Quando foi que passamos de telespectadores da vida alheia, para narradores da história deles? Dar um toque sutil a uma amiga que vive um relacionamento abusivo, é muito diferente de atirar pedras nela, por não conseguir quebrar o ciclo. Você sabe, né?

Quando pensa em amizade, o que vem na sua cabeça?

Na minha vem: alguém com quem posso contar sempre, em bons e maus momentos. Alguém que vai me estender a mão quando eu estiver no meio de uma crise de ansiedade. E que vai perdoar os meus erros, mas vai procurar o momento certo para me avisar que eu poderia melhorar em certos aspectos. Alguém que não julgará minhas decisões, mas tentará entende-las, por mais descabidas que lhe pareçam. Uma pessoa que vai entender minha ausência, mas que vai mandar uma mensagem vez ou outra, compartilhando suas próprias dores e alegrias. Alguém com quem vou poder aprender e crescer. Além de ser alguém que vai se alegrar com as minhas vitórias e não vai ter medo de compartilhar comigo as próprias conquistas. Você tem alguém assim ao seu lado? Por que se tem, você já conquistou muito na sua jornada, viu?

A reflexão que fica é: que tipo de amigo você tem sido?

Vamos parar um segundinho e reparar se estamos sendo para nossos amigos, o tipo de amigo que gostaríamos de ter. Se estamos vibrando verdadeiramente pelas vitórias dos amigos que amamos. Estamos incentivando-os a fazerem coisas que realmente amam, ao invés de só fazerem coisas por obrigação? Vale refletir, principalmente, se estamos sendo verdadeiramente presentes nas suas dores e alegrias. Ou se estamos julgando demais, ao invés de tentar compreender suas razões, de ouvir o seu lado. Afinal, não adianta querer cobrar uma amizade impecável, se você tem sido um amigo bem meia-boca, viu?

Coloque a empatia em jogo, se ponha no lugar das pessoas que você diz amar. Entenda suas razões, procure entender por que se afastaram de você. Mande uma mensagem para aqueles que desapareceram. Até por que, você adoraria ser lembrado, né? Então, por que não mostrar para um de seus amigos, que você também lembra deles em seu dia-a-dia? Julgue menos, abrace mais. Ouça de coração aberto e compreenda o que tiver que compreender. Por mais amizades verdadeiras e menos julgamentos em jogo. Lembre-se de não fazer com o outro, aquilo que você não gostaria que fizessem com você.

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: