Popcorn

Unbreakable Kimmy Schmidt: é para chorar de rir!

23 de junho de 2018
Cartaz de divulgação de Unbreakable Kimmy Schmidt
Categoria: Seriado;
Gênero: Comédia;
Duração dos episódios: 30 min;
Criadores: Tina Fey e Robert Carlock;
Sinopse: Depois de viver durante 15 anos isolada em um culto, acreditando que era uma das únicas sobreviventes de um apocalipse que dizimou a Terra, Kimmy (Ellie Kemper) descobre que estava sendo enganada. Assim que é liberta, ela decide ir morar em Nova York, onde faz novos amigos e descobre um mundo inteiramente novo, que ela vai desbravar com um desafio por vez. (AdoroCinema)

Cena de Unbreakable Kimmy Schmidt

A maravilhosa Tina Fey, roteirista de Meninas Malvadas, juntou as pessoas que produziram com ela a série 30 rock (Robert Carlock, Jeff Richmond, Jack Burditt e David Miner) e deu vida a série Unbreakable Kimmy Schmidt. A série foi produzida inicialmente para o canal NBC, que desejava dar uma série própria para a atriz Ellie Kemper. Tanto que, inspirados no otimismo da atriz, os produtores criaram Kimmy. As filmagens da primeira temporada já estavam finalizando, quando o canal anunciou que não possuíam espaço na grade para a série. Então, Fey entrou em contato com a Netflix que comprou Unbreakable. Sendo que até reeditaram algumas cenas censuradas pela NBC.

Em Unbreakable Kimmy Schmidt, a protagonista e mais três mulheres passaram 15 anos vivendo em um culto apocalíptico, num bunker em Indiana, presas por um homem que dizia que o mundo acabaria em 2006. Durante esse período ele fez várias tentativas de lavagem cerebral, além de abusos sexuais e psicológicos. Nos primeiros minutos da série vemos as mulheres sendo resgatadas, o começo da cobertura jornalística que emenda com um vídeo montagem, sobre o caso, que é o viral do momento (inclusive é a aberturada série), e o assunto do sequestro encerra após a última entrevista que elas dão em Nova York.

Cena de Unbreakable Kimmy Schmidt

Kimmy e seu otimismo incrível!

Kimmy decide ficar por lá recuperando os anos perdidos. Ponto negativo para quem é muito curioso (assim como eu): não sabemos como a polícia conseguiu descobrir o bunker, como foi a prisão do pastor, o reencontro delas com a familiares. Temos apenas alguns flashs do que aconteceu durante o antes e o durante. Os produtores se afastaram do assunto, tornando-o mais adequado para uma comédia.

Kimmy é extremamente otimista, nunca se deixou abalar pelo sequestro e sempre procura solucionar tudo. Com as dificuldades da nova vida em Nova York não foram diferentes. Ela consegue um emprego de babá e um apartamento para dividir, com um pseudo ator, Titus. Os coadjuvantes da série são clichês que já vimos em alguns filmes e seriados. Por exemplo, o ator malsucedido; a rica que nega as origens; a hippie maluca; a adolescente que mente para se encaixar… Mas, nada disso faz com que eles sejam menos engraçados ou especiais.

Segunda temporada (contém leve spoilers da primeira!):

No fim da primeira temporada, o assunto do sequestro estava aparentemente terminado. Portanto, fiquei sem saber o que aconteceria em seguida. Na segunda temporada de Unbreakable Kimmy Schmidt, o fio condutor é o recomeço. A personagem acabou de perder o emprego e terminar o namoro com Dong. Além disso, os problemas psicológicos causados pelos anos de isolamento começam a afetar a vida dela em vários aspectos. E, é claro, os outros personagens também estão passando por recomeços de várias formas diferentes.

(fim dos spoilers)
Vale ressaltar, que o ponto mais positivo da série são os diálogos ágeis, quase sempre de duplo sentido e irônicos. É uma série leve, positiva e engraçada. Dessa maneira, com apenas 30 minutos por episódio, é perfeita para fazer aquela maratona que adoramos fazer. Apesar de simples, é viciante e já estou morrendo de curiosidade para saber qual o tema da próxima temporada.

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: