Tapa Virtual

Teoria do Elevador: pense um pouco, a sociedade agradece.

16 de setembro de 2018

Esses dias estava passeando pelo instagram e vi um stories que me fez pensar muito sobre um tema. Intitulada “A Teoria do Elevador” e ela te faz pensar sobre respeito e opinião própria. Apesar de ser um conceito bem simples, muita gente ainda precisa aprender que opinião pessoal não precisa ser aceita por todo mundo. Não deveríamos ter que explicar algo tão simples, mas nesses tempos atuais é bom compartilhar uma ideia tão boa.

Encontrei essa teoria no perfil da Hariana Meinke no instagram e foi um tapa virtual certeiro. Quem me segue deve ter visto a imagem e se você não leu a publicação, vai ouvir sobre ela aqui. Pois é uma dessas teorias simples que devem ser compartilhadas e ensinadas para a maior quantidade de pessoas que pudermos. Uma atitude simples que pode mudar tanto como você afeta a vida de outra pessoa. Principalmente em tempos onde tudo é postado na internet e todo mundo fala o que quer, sentado no conforto de sua casa atrás da tela do celular. Ah, o grande problema da geração atual é esse!

Resumindo: A Teoria do Elevador é bem simples. Antes de comentar algo na foto de alguém ou de compartilhar a publicação, pare e se pergunte: “Eu diria isso em voz alta para um vizinho dentro do elevador?”. Se a sua resposta for sim, muito bem!, pode publicar. Mas se isso causar algum desconforto, é melhor guardar sua opinião pra você.

O que você diz ao vizinho quando ele entra no elevador com você?

“Ah Camila, mas eu tenho direito de expressar minhas ideias quando quiser!” Sim, é verdade. Liberdade de expressão é um direito que todo cidadão tem acesso. Porém isso não quer dizer que você pode sair por aí distribuindo palavras de ódio e desrespeitando as pessoas. Não é porque você é um cidadão com pensamentos “inovadores” que você deve acusar movimentos sociais que não conhece. Se você não é gay, nunca vai saber o que é ouvir comentários homofóbicos na rua. Se não é mulher, não vai sentir o mesmo medo de ir até a estação de metrô e ouvir alguém te seguindo.

Se você não se encaixa naquela situação e sua opinião não é uma sugestão de como resolver um problema ou aliviar o que outra pessoa está sentindo, você deve guardar ela dentro da sua cabeça apenas para si mesmo. Defender uma pessoa que sofre preconceito, intervir em uma briga de casal com agressão ou elogiar uma atitude solidária são coisas que devem ser feitas.

Agora, apontar que a pessoa está magra demais ou gorda demais? Desnecessário! Comentar que o novo namorado da vizinha é melhor que o antigo? Falar que fulano trocou de carro mas que ele devia mesmo era ter trocado de esposa? Não, não e não! Vamos parar para pensar antes de despejar palavras que machucam. Um minuto de reflexão pode evitar tanta coisa! Então seja gentil, troque ódio por palavras de incentivo e reconhecimento. Não apoie quem compartilha ódio, seja a mudança que você deseja ver no mundo. E não se cale diante de uma situação que você pode ajudar. Espalhe coisas boas e o universo vai tratar de devolver o que você merece.

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: