Dois Quartos

Sobre sermos humanos e sermos mutáveis

13 de novembro de 2019

palavra change escrita com luzes neon na cor laranja

Depois que vocês cresceram, vocês pararam pra pensar no quanto vocês mudaram? As coisas que vocês curtiam antes e agora pensam: “que porra eu tava fazendo?”. Uma banda, uma música, um estilo, uma pessoa…

E o contrário? Já pensaram nas coisas que antes vocês não suportavam e agora amam? Pensaram “como eu não gostava disso antes e perdi tanto tempo não gostando”. Tipo, brócolis <3. Ou uma banda, uma música, um estilo…uma pessoa…

A questão é que seres humanos são mutáveis.

Eu, por exemplo. Na época no colégio, escutava Inimigos da HP (???), que não tem nada a ver com o pagode gostosin e de qualidade dos anos 90 e que eu ainda escuto hoje. Mas acho que era mais por uma questão de gostar do que todo mundo gostava do que por gostar mesmo. Depois, rock. E no mais clichê possível, no sentido de condenar tudo e todos que escutavam outras coisas. Achar que esse era o estilo musical supremo e que nada era melhor.

Eu ainda gosto de rock. Mas eu também tô curtindo muito um reggae, um rap, um hip-hop. Me divirto muito com o pop, choro muito com os feminejos (alguém deveria parar a Marilia Mendonsa. Ela consegue desgraçar cabeças), e, em festas, danço loucamente com os funks.

Conforme a vida passa, somos levados a lugares, conhecemos pessoas que nos fazem ver uma outra realidade, uma outra verdade, um outro lado.

E acho que é isso que nos faz pensar diferente.

Temos a necessidade de mudar. A mudança nos move. Podemos mudar o corte de cabelo, podemos mudar de casa, de profissão. Fazemos isso porque sentimos que precisamos mudar, se não, temos a sensação de que estamos estagnados, que a vida tá parada.

E, se temos esse sentimento, é porque, muito provavelmente, ela tá mesmo. E, a forma de mudar isso é seguindo em frente. Sair desse lugar que estamos e indo para outro. Mudando. Pra ver se as coisas acontecem.

Afinal, somos seres humanos mutáveis.

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: