Dois Quartos

Sobre George, João Pedro, Ágatha e privilégio branco

3 de junho de 2020

Nos últimos dias, uma onda de protestos antirracistas e antifascistas tomou forma ao redor do mundo. O estopim: mais uma pessoa preta foi assassinada por um policial nos Estados Unidos. Vamos falar sobre George, João Pedro, Ágatha e privilégio branco.


George Floyd, assim como muitos outros homens pretos, foi assassinado por um policial enquanto estava deitado e algemado. O tal policial, que, por enquanto, está preso (esperamos que continue) e se chama Derek Chauvin, pressionou seu joelho contra o pescoço de George por mais de oito minutos, enquanto o homem tentava desesperadamente avisar que não conseguia respirar.

João Pedro Mattos Pinto, um adolescente de 14 anos, foi morto por um tiro de fuzil nas costas enquanto cometia o ato suspeito de brincar no quintal de sua casa durante uma operação policial em São Gonçado, no Rio de Janeiro.
Ágatha Félix estava voltando em uma kombi pra casa da mãe e foi baleada por um tiro da polícia, que diz ter suspeitado de uma moto que passava pelo local.

A menina de oito anos foi morta porque a PM ACHOU que algo era SUSPEITO. Na ideia do “atire primeiro, pergunte depois”.

Já falei aqui sobre violência policial contra negros e, principalmente, contra jovens negros. E de como eu e você, como pessoas brancas, somos imensamente privilegiados por, simplesmente, termos essa cor de pele. Então, vamos falar como usar esse privilégio para ajudar na luta contra o racismo.

Primeiro: RECONHEÇA SEU PRIVILÉGIO. Reconheça que sua cor de pele não te causa problemas. Não tô dizendo que você não tenha problemas (todo mundo tem), mas reconheça que ser branco não deixa sua vida mais complicada. Coisa que não acontece com a população preta.

Estude sobre como nossa sociedade é racista e como nós brancos nos beneficiamos desse sistema opressor. Aí, pegue na mão do seu amiguinho branco e mostre pra ele como os negros tem que lutar diariamente pra ter seus direitos mais básicos assegurados.

Ouça e dê visibilidade às pessoas pretas. Siga influenciadores negros nas redes sociais e preste atenção no que eles têm a dizer. Valorize artistas negros. Compartilhe conteúdos feitos por negros. Conheça sobre a história do povo preto.

Seja antirracista ativamente. Afinal, como disse Desmond Tutu, sul-africano ganhador do Prêmio Nobel da Paz por sua luta contra o Apartheid em 84 e primeiro negro arcebispo da Cidade do Cabo:

“ Se você fica neutro em situações de injustiça, você escolhe o lado do opressor”.

Use seu privilégio branco pra ajudar a combater essas injustiças. Pegue o exemplo dos protestos que começaram nos Estados Unidos e se coloque entre os negros e o sistema opressor. Não seja ignorante ao ponto de rebater pela internet a fora que “todas as vidas importam”. A gente sabe disso. Mas vidas negras são ameaçadas há séculos. Entenda que VIDAS NEGRAS IMPORTAM, SIM. Pense sobre George, João Pedro, Ágatha e privilégio branco. Não seja parte do problema. Seja parte da solução.

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: