Azar Crônico

Rébirthday: reformulando 7 anos de história

23 de maio de 2019

Hoje acordei e tinha uma mensagem da Gio, falando que ela quer dar uma reformulada na Acesso Hallyu, mas ainda não descobriu como. Esse mesmo diálogo já aconteceu, uns dias atrás. Só que, naquele dia, a conversa era com a Mila. Na verdade, na verdade mesmo, estamos todas passando por processo de mudanças internas. Descobrindo novas paixões e mudando nossas rotinas. E, consequentemente, os assuntos que falamos, acabam precisando passar por mudanças também. Achei que essa era a melhor forma de começar o Rébirthday de hoje. Bem assim, explicando que estamos mudando daqui para a frente.

Esses dias também, uma amiga muito querida, recomeçou a blogar. Bem do zero, criando um novo projeto, o Aquele em que Ana (recomendo inclusive). Portanto, todas essas situações, combinadas com tudo que estou vivendo e com minha ausência por aqui, me fizeram pensar na história do Ré. Hoje, são 7 anos, desde que sentei na frente do meu primeiro notebook, que ganhei no meu aniversário de 15 anos (mais ou menos um ano antes disso), e comecei a falar aqui no blog. Que, inicialmente, era um blog literário. Por que, como minha professora mesmo dizia, eu era uma traça de livros. Sinto falta dessa época, principalmente por que eu tinha a oportunidade de ler, só por ler mesmo.

O que você fez nos últimos 7 anos?

Hoje me pego lendo uns livros startupeiros e me perguntando se algum de vocês gostaria de ler resenhas disso. Acredito que sim, por que vários de vocês podem estar vivendo momentos semelhantes ao que estou vivendo. E é exatamente por isso que compartilhamos nossas experiências pessoais por aqui. Mas, sei que a maioria não ia curtir tanto assim a mudança drástica. Como eu disse, criei esse espaço aos 16 anos. Naquela época eu estava no último ano do ensino médio, achando que ia ser engenheira civil (não sei de onde eu tiro essas coisas) e me preparando para um novo ciclo. Naquele ano mesmo, tudo mudou. Meus pais conversaram comigo e disseram que achavam que eu ia ser uma ótima jornalista. Pouco depois, inclusive, meu pai faleceu.

Nesse meio tempo vivi muitas coisas que não entendia e o Ré mudou várias e várias vezes. Só nesses 7 anos, usei uns 4 notebooks diferentes. Mais por ter sido assaltada várias vezes, do que por querer viver trocando de computador. E, assim como esse notebook que estou usando nesse exato momento vem pedindo aposentadoria, a Êrica de 2 anos atrás, que mergulhou firme em postar sempre, também está clamando por sossego. Hoje, aos 23, jornalista graduada e vivendo coisas bem diferentes de 7 anos atrás, consigo perceber que o Ré acompanhou muito bem todas essas mudanças que tive.

O Ré é meu projeto paralelo favorito

Ele soube esperar minhas várias ausências até que eu soubesse o que fazer em seguida. Mesmo que isso implicasse em ser um blog completamente diferente de quando começamos juntos. Que bom seria, se todas nós entendêssemos qual será o próximo passo. Que bom seria, se todas nós tivéssemos plena noção do que queremos fazer com nossas colunas e com o Ré por um todo. Não temos, confesso. Não ainda, pelo menos. Mas, ele sempre soube esperar, entender nossas mudanças e seguir o novo percurso sem reclamar. Então, meus caros e amados leitores, só peço que vocês tenham a mesma paciência e carinho em entender as novidades que estão por vir, tanto quanto esse espaço tem.

Algumas coisas já não vão mais fazer sentido para nós daqui para a frente, então algumas categorias podem sumir ou aparecer. Mas, prometo de coração, não será tão drástico assim. Até por que tudo vai acontecer de forma gradativa! Espero te ver aqui hoje e sempre. Obrigada por vir comemorar com a gente mais um Rébirthday e até daqui a pouco. <3

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply Maio: cabelo novo, tatuagem nova, vida nova! | Ré Menor 2 de junho de 2019 at 18:16

    […] blog explicando nosso sumiço e como as coisas vão mudar muito em breve. Se você ainda não sabe, clica aqui para ler! Só que, maio também foi um mês de momentos maravilhosos para várias de nós. Mila e Patrine […]

  • Comente aqui: