Popcorn

Nosso último verão: clichêzinho adolescente gostosinho

20 de julho de 2019

Gênero: comédia, drama, romance;
Ano: 2019;
Roteiro e direção: Ryan Schwartz;
Sinopse: Antes de começar a faculdade, um grupo de jovens precisa tomar decisões importantes: Griffin (K.J. Apa) hesita entre cursar música ou ingressar numa prestigiosa faculdade de administração, Phoebe (Maia Mitchell) prepara um documentário para obter uma bolsa de estudos, Erin (Halston Sage) e Alec (Jacob Latimore) cogitam terminar o namoro por cursarem faculdades em cidades distantes, Audrey (Sosie Bacon) pensa em fugir da vida acadêmica e o nerd Chad (Jacob McCarthy) finge ser um jovem trader para conquistar mulheres mais velhas. (AdoroCinema)

Clichêzinho adolescente

Já perdi as contas de quantas produções eu já assisti ou livros que eu li com essa premissa de a escola está acabando e nos vamos viver uma nova fase. Claro que casais adolescentes, acompanhamos por todo o drama e hormônios, tornam isso muito pior do que realmente é. Mas, em geral, são tramas fofinhas de acompanhar. Em Nosso último verão, a coisa é bem semelhante. São vários adolescentes passando por esse conflito de ser aprovado na faculdade e resolver os problemas amorosos. Mesmo que tenha um casal principal, tem várias pequenas tramas girando ao redor. Sendo assim, podemos acompanhar: o casal que decide terminar antes das férias acabarem para irem se acostumando com o fato de que vai ser difícil ficar separado; o cara que faz de tudo para fazer sexo; a menina que não vai para a faculdade por N questões; entre outras coisas.

Além, é claro, do casal principal da trama. Phoebe está focadíssima a preparar um documentário para tentar uma bolsa de estudos. Ao mesmo tempo que Griffin vive o drama de muitos adolescentes: realizar o sonho de estudar música ou cursar em um curso chato em uma faculdade incrível para realizar o sonho dos pais. Ah! Ainda tem o drama dos adultos. Os pais de Griffin tem um relacionamento conturbado e o pai exige muito dele. Até que o garoto descobre uma traição do pai e o emocional da família só tende a ir ladeira a baixo.

Gostosinho de assistir

Apesar de ser recheado de clichês e reviravoltas comuns, Nosso último verão é gostoso de assistir. Principalmente, por que os personagens são comuns e, ao mesmo tempo, carismáticos. Não é uma realidade que estamos acostumados a viver no Brasil. Mas, ainda assim, tem pontos que também passamos por aqui. Então é fácil entrar no clima do filme e viver o drama dos personagens. Entretanto, é o tipo de filme que não tem um super fator para acrescentar na sua vida, entende? A trilha sonora é sensacional e já está disponível aqui no blog. Mas, não é um filme que vai agradar a todos, mas que tem seus pontos positivos.

Apesar de a maior parte da trama girar em torno de casais e sexo, também tem outras questões. Como a Audrey, que não faz ideia do que quer fazer com a própria vida. É tão comum nessa idade. A gente não precisa ter a formatação exata da vida. Sem sair da escola direto para a faculdade, para cursar qualquer coisa, só para não se sentir excluído dos demais. As vezes, é muito melhor esperar uns dois anos e entrar em um curso que você realmente quer. A trama mostra bem isso. Também mostra que nem tudo acaba na faculdade ou com a distância. Ou seja, é melhor tentar do que desistir antes disso. E é isso! Definitivamente Nosso último verão está muito mais para um filme passa tempo, do que algo que você não pode viver sem assistir.

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: