Da página ao play

O menino do pijama listrado: livro x filme

10 de julho de 2018

Sobre o livro 

O livro O menino do pijama listrado é encantador por mostrar o nazismo pelos olhos de dois garotinhos de 9 anos. Portanto, temos Bruno como personagem principal. E, apesar de se julgar muito esperto, Bruno não tem muita noção do que está acontecendo ao seu redor. Não sabe o que são judeus e nem imagina que seu pai é um comandante nazista. A trama parte do momento em que ele e sua família se mudam para uma casa nada confortável, em um lugar que ele não sabe onde fica. Bem diferente de sua aconchegante casa em Berlim. Para piorar, não há ninguém ao redor que tenha a sua idade. Exceto, a sua irmã mais velha, que Bruno detesta.

Como sua vida na nova vizinhança é um tédio só, Bruno acaba explorando o lugar e chega até Shmuel. Um garotinho de pijama listrado que vive com diversas pessoas do outro lado da cerca que tem próximo a sua nova casa. A partir da amizade que os dois desenvolvem através da cerca, a trama desenrola de maneira emocionante e genuína. Eu amei o livro, principalmente por que tive a oportunidade de ler na edição de 10 anos, ilustrada por Oliver Jeffers e publicada pela editora Seguinte. As ilustrações são um complemento maravilhoso para O menino do pijama listrado e eu não poderia ter lido em uma edição melhor. Mas, esse, com certeza, não é o ponto mais forte da obra.

Não torne as coisas piores pensando que dói mais do que você realmente está sentindo.

Por se tratar da visão de crianças sobre uma parte muito importante da história mundial, o livro tem um tom diferente. A narrativa é bem doce e infantil. Mostrando tudo, tudo mesmo, pela ótica de Bruno. Se você já leu a coleção Desventuras em Série, provavelmente deve saber mais ou menos o tipo de linguagem que vai encontrar nesse livro. O livro é emocionante, delicado e mostra o quanto as crianças não tem maldade dentro de si. O quanto podemos ser corrompidos ao longo de nossa vida. Também faz com que a gente perceba o quanto precisamos dar mais atenção ao que os pequenos ao nosso redor dizem. É um livro lindo, cativante e super marcante. 

Sobre o filme

 

A ingenuidade dos personagens principais são o ponto chave do livro, mas é um grande desafio adaptar para o cinema. Em geral, todas as principais cenas estão ali. Nada de muito pesado aparece e tudo fica implícito. Assim como no livro. Mas, a leveza que a narrativa traz para o livro, não funcionou muito no filme. Quer dizer, nem chegou a ir para o filme. Os enquadramentos nos permitem enxergar mais do que o Bruno e no livro não é assim. Nós vemos o que o Bruno vê. O que chega mais perto de manter a essência do personagem são as falas. Mas sua maneira de pensar, como uma criança que se acha muito esperta, sem ter noção de um todo, não é acessível para o espectador.  

Infelizmente, ao contrário do livro que se destaca, o filme se perde entre os outros filmes sobre holocausto. Apesar de não carregar todas as cenas pesadas que a maioria dos filmes sobre esse assunto carregam. Pode ter sido a intenção, para torna-lo mais “vendável”. Afinal, querendo ou não, esse é um grande objetivo para produtores e diretores. Gosto do filme, não me leve a mal. Só não acho que seja excepcional como o livro.

E você, o que achou?

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: