Acesso B

Materiais de desenho: 4 indicações para iniciantes

25 de agosto de 2019

A coluna vai começar a passar por uma certa transição esse semestre, a ideia é expandir os temas de posts para além da cultura coreana, abrangendo outros temas mais gerais. Sendo assim, o primeiro post dessa nova fase é sobre materiais de desenho. Para isso, eu escolhi quatro técnicas de pintura e alguns materiais para quem está interessado em começar. As indicações de marcas são em relação as que eu conheço e já utilizei, pois cada material tem uma gama bem grande de opções no mercado. Portanto, se você está começando, vá testando diversas marcas e produtos. Assim você descobre os materiais de desenho que mais gosta e o que te deixa mais confortável na hora de praticar. 

Lápis de Cor

staedtler_faber

Essa escolha parece bem básica e óbvia mas pode fazer toda diferença e existe uma variedade de marcas e tipos no mercado. Alguns lápis tem pigmentação melhor, não deixando aqueles pontinhos brancos sem preencher na folha. As duas marcas que eu vou indicar talvez já sejam bem conhecidas, a Faber-Castell e a Staedtler. Eu não costumo utilizar a técnica de lápis de cor sozinha, então eu estou considerando a qualidade de cada um para finalização. Em comparação com as duas marcas, os lápis da Staedtler são um pouco mais sequinhos, precisando por um pouquinho mais de força na mão para escurecer bem a cor, enquanto os da Faber são um pouco mais pigmentados. 

Aquarela

dicas_aquarelas

Para quem está iniciando a partir do zero, eu indico os lápis aquareláveis, também da Faber-Castell, pois além de terem um preço acessível é possível fazer o acabamento da pintura com o lápis seco. A diferença da aquarela em pastilha para a de tubo é a pigmentação. Enquanto a de tubo pigmenta mais, fazendo com que seja mais fácil alcançar tons fortes, a de pastilha pigmenta menos. Para quem quer arriscar um pouco mais, a indicação é a aquarela em pastilha da Koh-I-Noor, que tem um preço bom considerando a qualidade. Enquanto a indicação da aquarela em tubo é a da marca Pentel. 

Pastel Seco

gioconda_pastel_seco

Dentre os materiais de desenho, esse exige um papel com gramatura mais alta. Como, por exemplo, papel canson, e texturizado. Pois o lápis solta bastante pó que precisa se prender a folha. Os lápis não são super baratos, eles custam em média R$ 5,00 individualmente. A indicação é a linha Gioconda da Koh-I-Noor, que tem um preço razoável considerando o material. Para essa técnica também é indicado o uso de esfuminho, cotonete ou pincel para esfumar a cor na folha. 

Marcadores

Design sem nome (1)

Os marcadores lembram um pouco as canetinhas. A maior parte deles são a base de álcool, o que pode fazer com que o cheiro seja um pouco forte. Para quem não conhece essa técnica a marca Magic Colors é um bom começo. Apesar de não ter uma vida útil muito longa e possuir apenas a opção de ponta chanfrada, o material é barato. Outras marcas mais profissionais (e também mais caras) são a Copic Markers e a Tombow. 

A Copic é bem conhecida e possui dois tipos de ponta. A pincel e a chanfrada, sendo útil tanto para preenchimentos de áreas mais extensas como também para preenchimentos pequenos. Outra vantagem são os degrades, que ficam super bonitos. Uma marca que eu gosto bastante é a Tombow. Ela também possui dois tipos de ponta, uma bem fina, similar a de caneta e a de um pincel. A ponta pincel desse marcador é o que mais me faz gostar deles. Ela é mais longa e fina que a da Copic, além de de ser mais molinha, o que eu acho que facilita muito na hora de colorir. 

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: