Da página ao play

Eragon: um ciclo de livros transformado em um único filme

23 de outubro de 2018

Eragon foi lançado em 2002. Um livro sobre uma aventura com cavalheiros e dragões. Pra mim, a escrita de Christopher Paolini seguia um ritmo muito bom, mas parecia não agradar todo o tipo de leitor. Um estilo que eu sempre adorei ler, portanto uma receita de sucesso para uma adaptação cinematográfica, certo?

Eragon tem 15 anos e cresceu no campo, porém sua vida muda ao se deparar com um ovo de dragão solitário na floresta. Após a descoberta, Eragon é colocado em uma disputa pelo Império que domina sua nação. Os personagens possuem características marcantes e os cenários são fantásticos. Você consegue criar um mundo inteiro com a descrição do autor, o que agradou me agradou muito.

Para 2002, achei que a história foi bem construída. A base da história tinha fundamentos e não gerava mudanças fora do contexto. Os personagens tinham desenvolvimento de um livro para o outro, mas em um ritmo um pouco lento. O que pode ter tornado a leitura bem maçante para alguns. Talvez esse tenha sido o problema da adaptação.

Primeiramente, Paolini dizia seriam três volumes lançados. Porém, em um determinado momento, a trilogia virou um ciclo com quatro volumes. Para alguns virou uma enrolação sem fim, para outros foi o certo. Mas por ser uma história longa, Eragon perdeu grande parte do seu lado fantasioso quando chegou aos cinemas. É algo que já vimos acontecer com diversos outros filmes do gênero e sempre acaba decepcionando.

Um guerreiro se faz com uma parte coragem, três partes loucura.

Ao meu ver, Eragon poderia ter sido explorado de uma maneira mais ampla no cinema. No final das contas, a história não teve profundidade o suficiente para gerar um segundo filme e as pessoas que gostaram nunca souberam o final da jornada. Bom, eu também nunca soube. Pois quando cheguei ao terceiro livro, percebi que não existia mais história. 

Então fica aqui a pergunta: Realmente vale a pena estender histórias pelo sucesso atingido? Ou devemos apenas entender que boas histórias acabam em determinado momento?

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: