Li, Gostei, Resenhei

Dexter: a mão esqueda de Deus – Jeff Lindsay

13 de maio de 2019

Autor: Jeff Lindsay; 
Editora: Planeta;
Páginas: 272;
Sinopse: Dexter Morgan é um educado lobo vestido em pele de ovelha. Ele é atraente e charmoso, mas algo em seu passado fez com que se transformasse numa pessoa diferente. Dexter é um serial killer. Na verdade, é um assassino incomum que extermina apenas aqueles que merecem. Ao mesmo tempo, trabalha como perito da polícia de Miami… Em Dexter, a Mão Esquerda de Deus, o livro que deu origem à aclamada série de TV, o adorável matador depara-se com um concorrente de estilo semelhante ao seu, encanta-se e incomoda-se com ele, prevê seus passos… A escrita requintada de Jeff Lindsay nos faz mergulhar na mente de um dos personagens mais ambíguos da história da literatura de suspense. Nunca o macabro foi tratado com tanto refinamento e leveza. Dexter Morgan é uma obra-prima. (Skoob)

Dexter: a mão esquerda de Deus

Dexter foi uma das primeiras séries que assisti e viciei. Sou apaixonada por investigação policial e a série foi certeira no meu coração. Então, acabei fazendo o caminho inverso (por que prefiro ler primeiro) e só descobri que tinham livros de Dexter um tempo depois. Também tem histórias em quadrinhos e você pode clicar aqui para ler a resenha comparativa entre as três versões! Mas, quando se trata do livro, as coisas são mais fortes e ainda mais envolventes. Afinal, Dexter é um analista forense e serial killer, que só mata outros seriais killers. Ao mesmo tempo que estamos conhecendo a história de Dexter e a profundidade do emocional do personagem, o departamento de homicídios da polícia de Miami, aonde ele trabalha, está investigando um serial killer em especial.

O assassino do caminhão de gelo, como ficou conhecido (na série pelo menos, não lembro como é no livro), vem matando prostitutas e retirando todo o sangue delas. Ele deixa, estrategicamente, os corpos em pontos da cidade, cada fatia muito bem embalada. Mas, além de todo esse trabalho meticuloso para matar, o assassino em questão, parece conhecer muito bem o Dexter.  Ou seja, conhece sua verdadeira identidade por trás do analista forense e, obviamente, vem brincando com ele. A trama toda, além de ter várias cenas meio nojentas, é muito muito muito envolvente. E, se você gosta de investigação policial, é um prato cheio. Só que, o que eu mais gosto na trama de Dexter, é que o autor faz questão de focar no problema por trás do psicopata. Afinal, algo o fez ficar assim  e Jeff Lindsay dá bastante atenção ao motivo.

Para mim é o melhor tipo de trama policial

São poucas as tramas, tanto em livro, quanto em séries e filmes, que focam em explicar a mente do “vilão”. Quais são os traumas que o fizeram ficar dessa forma, sabe? E, para mim, esse é o melhor tipo de investigação policial. Sendo assim, Dexter: a mão esquerda de Deus, é narrado pelo personagem principal. Então, de fato, sua mente é totalmente exposta para o leitor. Confesso que li o livro há anos atrás, tenho quase todos os outros da coleção, mas ainda não li nenhum outro. Então, não sei se a qualidade incrível desse primeiro se mantém ao longo dos outros. Mas, tenho muita fé no Jeff Lindsay e pretendo ler/resenhar todos em breve.

Agora, fazendo uma análise bem tosca desse nome que o livro ganhou na versão nacional, a mão esquerda de Deus pode vir daquele dito popular em que falamos que alguém que ajuda muito, é nosso braço direito. Ou seja, já que ele ajuda Deus acabando com seriais killers, mas faz isso de uma forma errada, ele é a esquerda e não a direita. Será que foi com essa intenção? Fica aí o questionamento. Para fechar, eu recomendo MUITO esse livro. Principalmente, se você gosta desse gênero, mas não tem muito estômago para ver a série. Afinal, apesar do livro ter cenas mais fortes, não é tão ilustrativo assim, né? 

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: