Popcorn

A princesa e a plebeia: roubando corações sem fugir do óbvio

17 de novembro de 2018

Gênero: Romance;
Ano: 2018;
Direção: Michael Rohl;
Sinopse: Quando uma confeiteira de Chicago e uma futura princesa descobrem que são basicamente gêmeas, elas criam um plano para trocar de lugares durante o Natal. As coisas irão ficar complicadas quando uma delas se apaixona por um homem que não sabe a verdadeira história e muito menos a identidade da sua amada. (Filmow)

Se você quer um filminho de natal perfeito, A princesa e a plebeia é a minha mais nova indicação. Por ser feito com carinha de natal, o filme é feito de clichês. Portanto, provavelmente, você vai começar a ver, sabendo como vai terminar. Nesse sentido, não há nada de novo. Aliás, quantas edições de gêmeas ou pessoas semelhantes trocando de papel existem por aí? Consigo pensar em pelo menos uns 4 filmes. Mas, o que chama a atenção na trama é a ausência de vilã. Geralmente, nessas tramas, sempre tem uma vilã tentando acabar com a graça da história. Ou separar o casalzinho principal. Ou até a rainha não vai com a cara da futura princesa. Só que em A princesa e a plebeia, a trama não tem nada desse tipo. 

O que deixou a história menos massante. Fluiu bem melhor. Quanto aos personagens, são todos bem cativantes. Não tem ninguém que a gente desgoste. Stacy é toda meiguinha, nunca toma uma decisão por impulso e também não se mete em aventuras como essa. Em contra partida, a duquesa Margaret, apesar de num primeiro olhar ter cara de esnobe, é tão fofa quanto. Ela é super gentil, simpática e diverte a gente enquanto descobre o mundo fora da realeza. Mas, garanto que nesse filme, não é pelo príncipe que você vai suspirar. E sim, pelo melhor amigo da Stacy. O rapaz além de lindíssimo, tem um jeito bem cativante. E a construção do personagem só colabora para isso.

Uma história de amor para ninguém botar defeito

Confesso que não sou a maior fã da Vanessa Hudgens. Sempre achei ela meio sem graça. Só que, durante A princesa e a plebeia, ela brilhou. Parece que ela está numa fase bem mais feliz e radiante, isso acabou transpassando para as personagens. As diferenças entre elas ficaram muito boas. Claro, ela não é a Tatiana Maslany de Orphan Black. Mas, para um filme de romance, tudo ficou perfeito. É o tipo de filme que vicia e que a gente quer rever sempre que estiver meio deprê. Ou quando queira renovar a esperança. Principalmente a esperança no amor! Aliás, esses filminhos de natal são perfeitos nesse sentido

Sendo assim, super recomendo se você gosta desse tipo de trama. Como eu disse, não vá esperando grandes revoluções na trama. Esse não é um filme que tem o objetivo de parar o mundo e levar uma grande mensagem. Só que, sem dúvida nenhuma, você sairá com o coração aquecido e um enorme sorriso no rosto. Mas, se não faz muito seu estilo, clica aqui que a gente tem resenha de vários tipos de filmes também!

 

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: