Li, Gostei, Resenhei

A mágica da arrumação – Marie Kondo

4 de fevereiro de 2019

Autora: Marie Kondo;
Editora: Sextante;
Páginas: 160;
Sinopse: A Mágica da Arrumação se tornou um fenômeno mundial por apresentar uma abordagem inovadora para acabar de vez com a bagunça. Aos 30 anos, a japonesa Marie Kondo virou uma celebridade internacional, uma espécie de guru quando o assunto é organização. Seu método é simples, porém transformador. Em vez de basear-se em critérios vagos, como jogue fora tudo o que você não usa há um ano, ele é fundamentado no sentimento da pessoa por cada objeto que possui. O ponto principal da técnica é o descarte. Para decidir o que manter e o que jogar fora, você deve segurar os itens um a um e perguntar a si mesmo: “Isso me traz alegria? Você só deve continuar com algo se a resposta for sim”.

Pode soar estranho no começo, mas, acredite, é libertador. Você vai descobrir que grande parte da bagunça em sua casa é composta por coisas dispensáveis. Prático e eficiente, este método não vai transformar apenas sua casa, ele vai mudar você. Rodeado apenas do que ama, você se tornará mais feliz e motivado a criar o estilo de vida com que sempre sonhou.

Eu duvidei!

Marie Kondo é uma especialista em organização. Algo que, até então, parecia completamente intuitivo. Mas, ela jura de pés juntos, que pode acabar definitivamente com a bagunça. Sabe aquela situação chata de que você arruma a casa e meia hora depois ela aparece magicamente desarrumada novamente? Então, Marie desenvolveu um método prático, que nomeou de KonMarie (nem preciso explicar o por que né?). Como toda boa aquariana, me recusei a surfar na onda de sucesso que A mágica da arrumação teve uns anos atrás. Não se ouvia falar em outra coisa. E eu me mantive impassível. Porém, tempos depois, a Mila leu e arrancou muitas sacolas coisas para doar. Fiquei em choque e comecei a considerar a ideia.

A onda toda já tinha acalmado e 2019 já estava apontando o dedo na minha cara, exigindo um pouco mais de organização da minha parte. Dei o braço a torcer e li! Junto disso, lançou a série e é impossível não se tornar fã daquela pequena japonesa. Com um jeito fofo e delicado, ela faz você se livrar de coisas que era extremamente apegado. E, com a série, consegui ver na prática os aprendizados que tive no livro. Além, é claro, de ver muita gente desapegando real das coisas. Não faço o estilo acumuladora. Na real, ninguém aqui em casa faz. Sempre fomos muito de fazer um limpa a cada 6 meses e doar. Mas, sei que ainda tem muita coisa que pode ir embora depois que aplicarmos o método. 

A mágica da arrumação funciona?

Isso eu não posso garantir com certeza, absoluta. Ainda não coloquei em prática, mas até março essa limpeza sai! Aí eu volto para contar o que achei. Se a bagunça voltou ou não. Mas, vamos falar um pouco do que A mágica da arrumação ensina. De uma maneira bem simples, prática e objetiva, Marie Kondo dá dicas de como fazer uma faxina de uma vez só. Algumas coisas são bem diferentes para nós ocidentais, mas que são lindas e compreensivas, já que ela vem de uma outra cultura. Por exemplo, Marie senta no chão e cumprimenta a casa que vai organizar, junto com a família. Assim como dá tapinhas nos livros para acordá-los, já que não são lidos há algum tempo e devem ter adormecido. Consegue ver como isso parece maluquice para nossa cultura, mas que para a dela faz todo sentido? 

Eu adorei as ideias e vendo a série, vi o quanto as famílias se emocionavam na hora de cumprimentar a casa. Ou seja, é sim uma parte obrigatória para o ritual. Ela devide a arrumação em 5 etapas. Sendo elas: roupas, livros, papéis, komono (cozinha, banheiro, garagem e itens variados). Marie também dá dicas de como dobrar as coisas e como manter seu guarda-roupa energizado. O importante é descartar tudo aquilo que não te traz alegria. Estou acreditando muito na eficiencia do método, principalmente depois que eu vi um depoimento de uma antiga cliente, no livro: 

“O curso me fez enxergar as coisas de que eu precisava e que não precisava. Então descobri que não precisava do meu marido e me divorciei.”

Não preciso falar mais nada, né? Espero que gostem!

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: