Favoritando

Metas de 2019: 9 livros que quero ler esse ano

16 de janeiro de 2019

Já falei isso por aqui, mas gostaria de reforçar: todo santo ano eu faço uma meta de livros para ler. Confesso que não tenho chegado muito perto de cumprir, mas me esforço. Inclusive, para esse ano, quero chegar aos 80 livros lidos. E ainda não li nenhum. Sendo que poderia ter lido, pelo menos, uns 10. Quem mais passa por isso todo ano? De deixar a meta de livros cada vez mais distante de ser cumprida? Vamos nos propor a ler mais em 2019? Pensando nisso, montei uma lista com os 9 livros quero ler em 2019. Dentre eles, alguns que vi o filme e estou louca para fazer resenha comparativa para vocês. E outros que eu ganhei de natal. Alias, meus amigos capricharam nos presentes no último ano. Nunca ganhei tanto livro bom de uma vez só. 

Mas, já que vamos juntos tentar ler mais esse ano, que tal você também escolher 9 livros para ler em 2019 e contar quais são nos comentários? Portanto, fico aqui esperando para ler sobre as suas metas! 

Caixa de pássaros – Josh Malerman

Sinopse: Romance de estreia de Josh Malerman. Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Portanto, é uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune. E ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Dessa forma, após cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes. Dentre eles, Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão. (Skoob)

O ano que disse sim – Shonda Rhimes 

Sinopse: Um livro motivador da aclamada e premiada criadora e produtora executiva dos sucessos televisivos Grey’s Anatomy, Private Practice e Scandal. Além de produtora executiva de How to Get Away with Murder. Você nunca diz sim para nada. Foram essas seis palavras, ditas pela irmã de Shonda durante uma ceia de Ação de Graças. O que levou a autora a repensar a maneira como estava levando sua vida. Apesar da timidez e introversão, Shonda decidiu encarar o desafio de passar um ano dizendo “sim” para as oportunidades que surgiam. Os “sins” iam desde cuidar melhor de sua saúde, até aceitar convites para participar de talk shows e discursos em público.

Além disso, Shonda deu um difícil passo. Sendo esse, dizer sim ao amor próprio e ao seu empoderamento. Em O Ano em que disse sim, Shonda Rhimes relata, com muito bom humor, os detalhes sobre sua vida pessoal, profissional e como mergulhar de cabeça no “Ano do Sim” transformou ambas e oferece ao leitor a motivação necessária para fazer o mesmo em sua vida. (Skoob)

Poliana Moça – Eleanor H. Porter 

Sinopse: Comovente história de Poliana, a menina que aprendeu com o pai, homem bastante paciente e resignado, o jogo do contente. A partir disso, ela também foi ensinando aos outros, para que todos transmitissem aos mais aflitos palavras e gestos de otimismo. Num terno e sublime exemplo de fraternidade cristã. Assim cresceu, até tornar-se moça. Dessa forma, passou a ser amada por um jovem que admirava ao lado de sua beleza as virtudes com que ela cativou toda a gente de sua pequena localidade, depois de voltar da grande cidade, onde via perplexa a indiferença das pessoas que corriam apenas atrás de seus afazeres. (Skoob)

Mauricio: A história que não está no gibi – Mauricio de Sousa

Sinopse: “Ideias mudam o mundo – poucos chavões são tão verdadeiros e inspiradores. Não mudei o mundo nenhuma vez. Mas, à minha maneira, acho que o melhorei um pouquinho ao gerar bons momentos, diversão e entretenimento para milhões de brasileirinhos. Raros são os autores, no Brasil e no exterior, que podem dizer que foram lidos com o mesmo prazer por avós, filhos e netos. Ou que carregam na bagagem a honra e o privilégio de saber que suas criações, com gibis ou livrinhos agindo como cartilhas informais, ensinaram pelo menos três ou quatro gerações a ler – disparado, meu maior orgulho.

Em última instância, sou um sobrevivente, um homem que começou do nada, realizou seu sonho e não quer desistir dele de jeito nenhum. Enquanto eu estiver por aqui, saiba que foi você quem sempre alimentou meus sonhos. Depois que eu partir, não se esqueça de que ideias, e também sonhos improváveis, é que movem o mundo. De um jeito ou de outro, sempre estarei com vocês.” Mauricio (Skoob)

Serial Killers: Anatomia do mal – Harold Schechter

Sinopse: Histórias Reais, Assassinos Reais, de uma maneira que você nunca viu. Estudados com rigor científico, profundidade e conhecimento psicológico. Definitivamente, um livro que vai atrair a atenção dos fãs das séries CSI, Criminal Minds, Dexter e do canal Discovery Investigation. Além de todos aqueles que querem entender o que se passa na mente dos assassinos mais temidos e cruéis de todos os tempos. (Skoob)

Mulheres Incríveis – Kate Schatz 

Sinopse: Feche seus olhos e pense numa pirata. Agora imagine uma espiã. Ou uma presidenta. Pense numa guerreira em ação. Uma grande pintora ou na maior jogadora de futebol de sua época. Estas são apenas algumas das mulheres incríveis que você encontrará neste livro. São 44 perfis de mulheres extraordinárias, numa coleção de histórias que começa em 430 antes de Cristo e alcança os dias de hoje. Da Mesopotâmia até a Antarctica. “Mulheres Incríveis” conta a história de vida de jovens e adultas transgressoras, que subverteram leis, lutaram por menos desigualdade entre gêneros e ajudaram a construir um futuro melhor para todos nós. (Skoob)

Filme – Lilian Ross

Sinopse: Ao saber que o diretor John Huston preparava a adaptação para o cinema do romance clássico da literatura norte-americana, O emblema rubro da coragem, de Stephen Crane, Lillian Ross, jornalista da revista The New Yorker, decidiu acompanhar todas as fases da realização do filme. Ross foi para Hollywood e, na tentativa de descobrir como realmente funcionava a indústria cinematográfica, seguiu, durante quase dois anos, os passos da equipe de A glória de um covarde (título brasileiro da obra de Huston), desde a confecção do roteiro até o lançamento em Nova York. 

O resultado deste extraordinário trabalho – a primeira reportagem escrita em forma de romance – está em Picture, título original do livro, que resume em uma única palavra múltiplos significados (quadro, retrato, imagem, descrição, filme). Esta economia marca o estilo de Lillian Ross, que se concentra no substantivo e essencial, jamais emite uma opinião e deixa que os fatos e as falas sejam eloqüentes por si mesmos. (Skoob)

Antes que eu vá – Lauren Oliver

Sinopse: Em uma noite chuvosa de fevereiro, Sam é morta em um acidente de carro horrível. Mas em vez de se ver em um túnel de luz, ela acorda na sua própria cama, na manhã do mesmo dia. Forçada a viver com os mesmos eventos, ela se esforça para alterar o resultado. Mas, acorda novamente no dia do acidente. O que se segue é a história de uma menina que ao longo dos dias, descobre através de insights desoladores, as conseqüências de cada ação dela. Uma menina que morreu jovem, mas no processo aprende a viver. E que se apaixona um pouco tarde demais. (Skoob)

Casos de família – Ilana Casoy 

Sinopse: Em “Arquivos Richthofen” o leitor vai acompanhar o comportamento dos três assassinos — as contradições e os erros decisivos. A distância de Suzane ao relatar os fatos, o descontrole de seu namorado Daniel na reprodução simulada do crime. Além dos depoimentos e técnicas de investigação da polícia, dos médicos legistas, peritos e especialistas, que não deixaram outra alternativa aos culpados que confessar os assassinatos brutais. A grande novidade fica por conta da transcrição inédita do emblemático debate entre acusação e defesa. Com o objetivo de oferecer os detalhes do julgamento nunca publicados.

Em “Arquivos Nardoni” o mergulho é em um dos casos criminais mais polêmicos já ocorridos no Brasil. Que contou com um qualificado trabalho da polícia técnico-científica — única “testemunha” do crime. Ilana reconstrói os cinco dias do julgamento de Alexandre Nardoni e Ana Carolina Jatobá. Sendo eles, pai e madrasta de Isabella de Oliveira Nardoni, condenados pelo assassinato dela. A autora foi colaboradora do Ministério Público, que, com a ausência da confissão dos réus, trabalhou com provas periciais irrefutáveis para confrontar a versão do casal no tribunal do júri. (Skoob)

Psiu, não embora sem me contar os 9 livros que você quer ler em 2019. 

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: