Li, Gostei, Resenhei

Tartarugas até lá embaixo – John Green

23 de outubro de 2017

Autor: John Green;
Editora: Intrínseca;
Páginas: 256;
Sinopse: A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC). Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses. (Skoob)

Se você já é fã da escrita do John, fico feliz em dizer que esse livro não foge, nem um pouco, do seu jeito tradicional de escrever. Ainda temos personagens apaixonantes, uma história envolvente, amizades verdadeiras e frases memoráveis. Então, você já deve saber que a leitura vale cada segundo. Mas, se você não sabe quase nada sobre os livros do John e está aqui por que ficou curioso com o título do livro, vem que eu te conto o que achei!

Em Tartarugas até lá embaixo, conhecemos Aza Holmes, uma adolescente que precisa lidar com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) todos os dias. Além disso, Aza tem uma mãe super protetora, um enorme apego ao falecido pai e ao carro que ele deixou, Harold, e uma melhor amiga louca por Star Wars. Ao saberem que um bilionário procurado pela polícia está misteriosamente desaparecido e quem o encontra-lo ganhará 100 mil de recompensa, Aza e sua amiga decidem sair em busca do cara.  Só tem um problema: a menina é amiga de infância do filho do bilionário e sempre teve uma quedinha por ele. No meio do reencontro, Aza tenta manter o foco na busca e em se livrar do TOC.

O que eu mais gosto na escrita do John Green é essa dedicação de escrever sobre adolescentes peculiares. Adolescentes que fogem do padrão, deslocados, com problemas reais. Atualmente, ouvimos muito sobre representatividade. John dá a oportunidade de os grupos menos conhecidos serem representados em histórias brilhantes. Como alguém que, assim como o John, cresceu com TOC e agora tem a Aza para amar.

Foi quando eu soube que me lembraria para sempre do que senti naquele momento, sob o céu fragmentado, quando a máquina do destino ainda viria a aterrar nossos caminhos, quando ainda havia tantas possibilidades.

Como eu disse lá em cima, esse livro só confirma a identidade do John enquanto escritor. Confirma seu objetivo em escrever sobre adolescentes diferentes, confirma seu talento para escrever frases que vamos grifar e levar na memória. Também nos mostra o quanto ele sabe criar amizades verdadeiras e pares românticos reais. Mas, Tartarugas até lá embaixo também é o livro que nos mostra um pouco mais sobre o próprio John. Nos mostra como o TOC deve ter influenciado e perturbado sua vida inteira.

Eu já li todos os livros lançados pelo o John Green. Tartarugas até lá embaixo está entre os meus favoritos, com certeza! Só perde para A culpa é das estrelas mesmo. Esse é um daqueles livros que a gente ama cada detalhe. Amamos a mãe protetora, amamos as memórias que Aza tem do pai. Amamos o casal e o ritmo do relacionamento deles. Amamos a amiga que as vezes é meio chata. Amamos. Simplesmente amamos cada detalhe. John fez valer cada ano em que passamos esperando por uma história nova.

Indico muito esse livro. Para fãs ou não do John Green. É cheio de referências à Star Wars, de momentos que nos tiram o fôlego e que nos fazem rir. Tartarugas até lá embaixo é incrível! Leiam <3

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: