Azar Crônico

Azar Crônico: No dia de hoje eu quero é respeito!

8 de março de 2017

Eu sou mulher e sou muito mais do que uma bolsa repleta de maquiagens, do que geradora de filhos, do que alguém que chora por tudo. Sou muito mais do que peitos e bunda. Tenho mais objetivos na vida do que só dar prazer, do que lavar louças e cozinhar. Eu quero ter uma profissão, uma carreira brilhante e não pretendo ter marido ou filhos até (no mínimo) os 30. Por que eu quero ser algo muito maior do que esperam. Foda-se você que está se preocupando se meus óvulos vão ficar velhos.

Eu sou mulher e quero andar na rua sem ouvir palavras de baixo calão, sem ouvir buzinas soando por que meu short é curto. Eu quero andar na rua sem medo, eu quero respeito. Quando me calo é por medo de responder e ser agredida, de mandar se foder e não chegar viva em casa. Eu quero casar por amor, quero receber carinho ao invés de ser espancada. Quando olho para mulheres fortes, que não se calam, que berram em prol de todas nós, eu me inspiro. É esse tipo de mulher que quero ser, determinada e empoderada. Eu quero me juntar a elas e exigir respeito.

Quando olho para uma mulher trans sei que nada a torna menos mulher que eu. Pelo contrario, me inspiro nela. Na sua força, na sua luta diária para se afirmar algo que ela só precisa ser, sem precisar explicar para ninguém o que tem no meio das pernas. Me inspiro em sua paciência (ou na falta dela) ao lidar com pessoas que se recusam lhe chamar pelo nome social, que perguntam coisas por pura ignorância. A mulher trans é mulher de verdade sim, aceitem.

Eu morro todos os dias quando sei que uma mulher foi espancada, estuprada e assassinada. Ao ler uma noticia sobre quantas facadas a minha semelhante levou, eu sinto em mim. Por que no fim das contas, podia ser eu ou qualquer mulher que amo. Por que já foi uma mulher que amo. Naiara foi estuprada e morta, na véspera do meu aniversário, em 2013. Aos 16 anos eu não podia me sentir mais vulnerável ao perder alguém tão importante. Naiara podia estar formada em jornalismo, trabalhando e saindo com as amigas no fim de semana. Sua mãe ficou lhe esperando voltar da auto escola, mas ela não chegou. Sua mãe quer justiça. Sua família nunca mais teve uma vida completa. E a justiça nunca se fez.

Eu quero viajar sozinha sem precisar deixar minha mãe com medo do que pode acontecer. Eu quero sair tarde sem me preocupar em ter uma carona que me leve até a porta de casa, eu quero confiar que posso voltar de transporte público, mesmo que ele não funcione muito bem. Eu quero andar na rua sem precisar mudar de calçada quando vejo um homem. Eu não quero ser culpada por ter sido estuprada, por que eu não sou e em nenhum mundo isso faz sentido. Eu não quero mais chorar por todas as mulheres que morrem dia após dia. Eu quero sorrir com todas elas ao meu lado.

Eu nasci pra vencer, nada pode me parar. Somos mulheres guerreiras, verdadeiras heroínas. Juntas quebramos barreiras, vencemos qualquer partida!

Karol Conká

Por favor, não só hoje, nos dê respeito e flores também. Nós merecemos.

8 de março – Dia Internacional da Mulher

((As mulheres na foto são pessoas que amo e admiro. São mulheres que, para mim, são exemplo de força e luta. Mas, não necessariamente, o texto expressa a opinião delas.))

You Might Also Like

3 Comments

  • Reply Joyce 13 de março de 2017 at 23:49

    Lindaaaaaa! ❤️

  • Reply Julll 10 de março de 2017 at 11:22

    ô menina, que orgulho de você ❤❤

  • Reply Valérie Mesquita 8 de março de 2017 at 11:37

    ❤❤❤❤❤❤❤❤❤

  • Comente aqui: