Li, Gostei, Resenhei

Para onde ela foi – Gayle Forman

5 de Fevereiro de 2018

Autor: Gayle Forman;
Editora: Novo Conceito;
Páginas: 240;
Sinopse: Meu primeiro impulso não é agarrá-la nem beijá-la. Eu só quero tocar sua bochecha, ainda corada pela apresentação desta noite. Eu quero atravessar o espaço que nos separa, medido em passos não em milhas, não em continentes, não em anos , e acariciar seu rosto com um dedo calejado. Mas eu não posso tocá-la. Esse é um privilégio que me foi tirado. Com a mesma força dramática de Se Eu Ficar, agora pela voz de Adam, Para Onde Ela Foi expõe o desalento da perda, a promessa da esperança e a chama do amor que renasce.

Se você nunca leu Se eu ficar, sugiro que o faça antes de ler essa resenhar! Mas, se você viu o filme, está totalmente liberada.

Sabe aqueles livros que terminam sem um final explicito? Aqueles em que a gente não sabe exatamente como vai ser a vida do personagem a partir daquele ponto. Então, o leitor que nunca foi corroído pela curiosidade atire a primeira pedra. Gayle Forman presenteia os fãs curiosos de Se eu ficar, com o livro Para onde ela foi. Demorei muitos anos para ler a continuação. Por alguns motivos: 1- Apesar de ser uma continuação, a trama vai desenrolar anos mais tarde; 2- O livro tem um novo narrador: Adam; 3- Por mais que eu estivesse curiosa para saber o desenrolar do romance, será que esse livro merecia uma chance? Só lendo para saber, né?! 

Então, vamos a resenha! Para onde ela foi é narrado por Adam, três anos após Mia se recuperar do acidente e embarcar para a faculdade em Nova York. A questão é: eles deixaram de ser um casal há muito tempo. Enquanto Adam é uma estrela do rock e sua banda faz um enorme sucesso no mundo inteiro, Mia é uma violoncelista. Que, apesar de estar no inicio de carreira, mantém sua linha de menina prodígio com futuro brilhante. Porém, Adam chega a ser um personagem meio chato nesse livro. Melancólico demais. O tempo todo se arrastando, tentando acabar com tudo de bom que ele construiu, por ter esse fim de relacionamento mal resolvido. Durante os quatro primeiros capítulos do livro, não fazemos a menor ideia do que aconteceu. Porém, Adam esbarra com um cartaz de um concerto de Mia que será realizado naquela noite e decide ficar para assistir. Depois decide falar com ela. E aí acompanhamos os dois durante 24 horas decisivas. 

Se você ficar, farei tudo o que você quiser. Abandono a banda, vou com você para Nova York. Mas, se precisar que eu vá embora, faço isso também. Talvez voltar para sua velha vida seja doloroso demais, talvez seja mais fácil para você nos apagar. E isso seria uma droga, mas eu faria. Posso perder você assim se não te perder hoje. Vou te deixar ir. Se ficar.

A narrativa da história tem mais ou menos o mesmo tempo de duração do primeiro livro. Com exceção do último capítulo. Mas, a forma como é contada, é bem diferente. Não tem marcação de horas, como em Se eu ficar. É como se estivéssemos lendo o diário secreto de Adam. Como se tudo aquilo não passasse de anotações pessoais para serem relembradas depois de um tempo. Em determinados momentos do livro, quase não respirei. E é quase impossível não se emocionar com os diálogos intensos entre Adam e Mia. Para onde ela foi também faz um retrato bem real do luto. Como também perdi meu pai na adolescência, me identifiquei em muitas frases da Mia. É de uma intensidade enorme, porém esse tipo de coisa pode passar despercebido se você não viveu algo semelhante. 

Me surpreendeu em muitos aspectos. Os primeiros capítulos são bem arrastados, por que o Adam está quase insuportável. Mia tem o poder de equilibrar a vida dela e isso fica bem claro no decorrer da narrativa. E, apesar de ter um final semi-esperado, as reviravoltas são muito boas. O desfecho é aconchegante. Quase como tomar uma caneca de chocolate quente em um dia frio. Se você leu Se eu ficar e gostou, por que não dá uma chance? Para onde ela foi é sim um presente de Gayle Forman! 

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: