Li, Gostei, Resenhei

A playlist da minha vida – Leila Sales

25 de setembro de 2017


Autor: Leila Sales;
Editora: Globo Livros;
Páginas: 312;
Sinopse: Elise Dembowski nunca foi popular na escola. Ninguém conversava com ela na hora do intervalo nem a convidava para sair no fim de semana. Pior. Ninguém jamais se interessou em saber o que tanto a ela escutava em seu iPod: playlists com o melhor da música pop, único território em que Elise se sente confortável e confiante. Diante de seu desajuste em relação à maioria, a adolescente tenta de tudo – inclusive a mais radical das saídas, felizmente sem sucesso. No auge de seu solitário desespero, o acaso a leva até a porta de uma balada noturna, via de acesso para um mundo completamente novo, cheio de som e diversão, no qual sua veneração por música funciona como senha para inclusão em um inédito círculo de amizades. (Skoob)

Em A Playlist da Minha Vida, conhecemos Elise. Uma adolescente que está passando por vários problemas complicados. Apesar de ter se dedicado à difícil tarefa de se enturmar com os outros alunos do ensino médio, Elise está completamente deslocada. Ao passar pelo ápice da angustia, decide se matar. O único problema é que ela admite ter feito isso para chamar a atenção, e isso inicia uma bola de neve de clichês. No desenrolar da história, Elise conhece a boate Star, onde ninguém lhe conhece. A Star acaba se tornando o ponto de fuga para a menina, que vai passar por um longo período de amadurecimento.

O livro, apesar de alguns estereótipos e clichês, tem um desenrolar inovador. Toda a forma como a Star vai ser importante para Elise. A forma como ela vai crescer e desenvolver ali dentro, é bem único. Elise tem uma personalidade bem legal e cativante. Como é uma menina insegura e tímida, encontra na música um refúgio. Tanto que, para se matar, ela cria uma playlist perfeita e bem calculada. Além disso, ela não é covarde. Ela se arrisca quando acredita em algo, se joga mesmo! Quanto aos personagens secundários, uns eram mais cativantes do que outros. A família dela, definitivamente, merece destaque. Sem contar que a autora mostrou bastante realidade em alguns, que todas as pessoas têm defeitos. Mesmo que não seja fácil de perceber no início.

“— E o que você tem? Talento ou problemas?
Parei por um momento e pensei a respeito.
— Os dois — eu disse finalmente.”

A escrita da autora desenvolve bem e chega em um ponto que não conseguimos mais parar de ler. A capa combina perfeitamente com a alma do livro e a diagramação interna é impecável. Eu já falei isso em várias resenhas, mas eu adoro livros que fazem referências a outros livros e músicas. No início dos capítulos, tem um trechinho de uma música e a editora deu uma brincada com as fontes.

A forma como trataram o suicídio nesse livro me conquistou por um motivo e me decepcionou por outro. Ao contrário do 13 reasons why, esse não é o ponto central do livro. Na verdade, A playlist da minha vida mostra os pontos fortes de seguir lutando. Mostra como a vida tem altos e baixos que só vamos conhecer se continuarmos vivendo. O que é ótimo. Já o ponto negativo, o fato dela ter tentado se matar para chamar atenção. Acho que isso pode desmerecer o problema real. Algo que atinge MUITAS pessoas por aí e que precisamos levar à sério.

No geral, o livro é ótimo e muito mais do que eu esperava. É muito difícil não ver o amadurecimento de Elise sem sorrir. Sem torcer por ela e para que as coisas melhorem para o seu lado. A playlist da minha vida nos faz refletir sobre essa fragilidade da vida e o quanto cada passo é importante. Recomendadíssimo.

You Might Also Like

No Comments

Comente aqui: