Being Êrica

Diário de transição #2: a melhor decisão que tomei em 2017!

19 de Abril de 2018

Faz um ano e oito meses que parei de alisar meu cabelo. Na verdade, eu não sabia que era meu último alisamento quando o fiz. Eu não planejei entrar na transição. Para ser, beeeeem sincera, a coisa toda de transição aconteceu por acaso e, principalmente, por eu andar BEM insatisfeita com o meu cabelo reto e escorrido. Eu só decidi entrar na transição, quando já fazia 11 meses que não alisava. Ou seja, já tinham vários dedos de cabelo natural e eu fiz 11 meses de transição sem perceber. Portanto, fazem 9 meses que transição capilar é algo real para mim.

No meu primeiro diário de transição, eu contei um pouquinho da minha jornada com o cabelo. Além de falar sobre o corte que fiz em dezembro e sobre a importância de conversar com profissionais especializados no seu tipo de cabelo. Se você quiser ler esse primeiro diário de transição, clique aqui! Nesse segundo momento, quero contar um pouquinho de como venho me sentindo na transição. Além de falar sobre como venho lidando com as duas texturas e com o fato de tudo pesar no meu cabelo.

Continue Reading

Favoritando

8 filmes com a Lindsay Lohan que marcaram época

18 de Abril de 2018

Crianças dos anos 90, com certeza lembram da ruivinha Lindsay Lohan. Primeiramente, ela começou a carreira como modelo infantil. E, em 1999, protagonizou seu primeiro filme, Operação Cupido. Poucos anos mais tarde, Lindsay Lohan ganhou fama ao protagonizar filmes de grande sucesso. Sendo eles: Sexta-Feira muito Louca, Meninas Malvadas e Herbie, Meu Fusca Turbinado. Portanto, a atriz, modelo e cantora norte-americana, divertiu muita gente com filmes que passavam frequentemente na sessão da tarde. Como cantora, Lohan lançou dois álbuns de estúdio. Speak, lançado em 2004, e A Little More Personal (Raw), em 2005.

Continue Reading

Da página ao play

A culpa é das estrelas: que adaptação L-I-N-D-A!

17 de Abril de 2018

Já comecei a ler o livro cheia de expectativa, pois ouvi muitos elogios sobre ele. E acredite, não me decepcionei nem por um segundo. Apesar de o tema tratar sobre o câncer, um tema pesado e melancólico, o livro não passa isso. Fazia tempo que eu estava querendo ler algo realmente envolvente, que não me desse tempo nem para respirar. E sim, A culpa das estrelas, toma seu fôlego, te arranca sorrisos e infinitas lágrimas. Por várias vezes fechei o livro e o abracei, absorvendo o que tinha lido, só para tentar fazer durar mais

A história é narrada por Hazel Grace, que é a garota mais esperta e diferente que eu já vi. Doce, e determinada, trata tudo com leveza. Até mesmo a sexualidade. Ela fala numa linguagem tão simples, mas sem deixar as coisas vulgares. Augustus, tão charmoso e atencioso, que eu não me incomodaria de conhecer alguém como ele. Entre aqueles ambientes de hospital e casa, Hazel detalha tudo sem deixar a história maçante, detalhes realmente necessários para construir o ambiente da história e não aqueles detalhes desnecessários. Sou apaixonada por livros que fazem referencia a outros. E em “A culpa é das Estrelas” fala sobre Anne Frank e o museu criado em sua homenagem (não vou estragar a surpresa, mas foi uma das melhores referências que já vi).

Esse livro consegue despertar uma enorme variedade de humor em você, desde raiva e decepção até a alegria mais pura que puder sentir. O livro é tão bom que deveria fazer parte dos livros que devem ser lidos antes de morrer, perdendo apenas para “O Pequeno Príncipe” e “Fernão Capelo Gaivota”. E ao mesmo tempo, queria que só eu soubesse da existência dele.

Bom, quanto ao filme: muitos gostaram. Outros já disseram que não superou as expectativas. Talvez eu tenha me preparado psicologicamente muito bem para não ficar decepcionada, afinal, já me acostumei que adaptações não são totalmente fiéis. Mas ainda acho que esse filme foi muito bem feito e me fez sorrir muitas vezes. Porém, me fez chorar compulsoriamente por um bom tempo durante o filme e depois também.

Quando eu li A culpa é das estrelas e em seguida soube que fariam um filme, entrei em desespero. Tive medo de estragarem algo que mexeu tanto comigo. Tinha medo dos atores não sentirem a realidade daqueles personagens. Algo que Shailene Woodley, atriz que interpreta Hazel Grace, mostrou que conseguiu principalmente na cena em que seus pais entram no quarto e ela já sabe a notícia que está por vir e chora com tanto sentimento, ficou visível que ela sentiu a dor da personagem.

De começo tive birra com Ansel Elgort, ele não era a descrição do Augustus e eu estava azul de raiva. Mas quando saiu o trailer e ele sorriu pela primeira vez, com toda a “manha” do Gus, eu pensei “Ei, você acabou de ganhar meu coração”. Por que ele realmente ganha nos poucos segundos do trailer, mas ganha muito mais no decorrer do filme. Quanto as pequenas alterações que a história sofreu, achei que não foi nada demais, sabe? Claro, senti falta de alguns detalhes. Mas eram detalhes simples e que serviam apenas para preencher o livro. As partes realmente importantes, os diálogos principais, estavam ali, vivas e fortes, com uma trilha sonora incrível de fundo, prontas para me fazer soluçar.

Sim, a trilha sonora desse filme foi escolhida a dedo, as letras são lindas e sou mega fã da maioria dos cantores/bandas. Como One Republic, Ed Sheeran, Birdy… Particularmente, tenho mania de ler e escrever ouvindo música de acordo com o que o momento descrito pede. Então, esses três que citei acima já participavam da minha trilha sonora particular quando li o livro. Claro, não com as músicas da trilha oficial, mas com outras que poderiam se encaixar na história também.

“Alguns infinitos são maiores que os outros”.

De volta à escolha dos atores, acho que todos se encaixaram muito bem nos personagens, não só o casal principal. Os pais de Hazel são descontraídos e legais como no livro. O Isaac é realmente um carinha incrível! Mas nenhum deles foi tão bem escolhido como o Peter Van Houten, autor de “Uma Aflição Imperial”, livro preferido da Hazel. Willem Dafoe, que participou de Homem Aranha, é perfeito para o papel. Ele já me parece detestável só com sua forma de olhar. Assim foi muito simples odiar Peter, muito antes do mesmo abrir a boca no filme.

A versão filme, de A culpa é das estrelas, é enriquecido com detalhes simples. Como o cenário do quarto do Gus e o da Hazel. E os balõezinhos que aparecem enquanto eles trocam mensagens. Gostei bastante de terem mantido a narração da Hazel, alguns filmes tiram a narração dos personagens e perde totalmente a graça. Outra coisa que me agradou bastante foi a atenção especial que deram ao olhar e as mãos da Hazel. E ao sorriso do Gus.

Sinceramente, é uma história que vale apena ser sentida várias vezes. Seja lendo o livro ou vendo o filme.

Esse post foi publicado, originalmente, em 2014, num site chamado Cartaz Branco. Que morreu há muito tempo e, como achei esse postzinho perdido por aqui, quis compartilhar!
Li, Gostei, Resenhei

Crônicas – Boa Companhia

16 de Abril de 2018

foto do livro Crônicas - Boa Companhia Autor: 42 autores. Organizado por: Humberto Werneck;
Editora: Companhia das Letras;
Páginas: 223;
Sinopse: Numa seleção de cronistas, teríamos craques pendurados até o lustre, diria Nelson Rodrigues. Prova disso são as 42 crônicas desta antologia, que reúne o melhor do gênero que, em pouco mais de cem anos, ascendeu à categoria de arte maior, sem perder a graça e a leveza. Falando de futebol, de um bicho de estimação ou de uma cena de infância, de uma conversa de bar, de amor, da paisagem na janela e até mesmo de uma canja de galinha tomada no hospital, o cronista trata o leitor como um amigo ou confidente. (Skoob

Continue Reading

Tapa Virtual

Fabricando um casamento: quanto custa seu amor?

15 de Abril de 2018

O sonho de toda garota é casamento e constituir família. Como estão seus namoradinhos? Vocês não vão casar? E agora, quando chega o primeiro bebê? Nossa vida é um eterno ciclo, somos rodeados de perguntas sobre tudo e questionados quando criamos nosso próprio tempo e objetivos de vida. Não existe um manual para a vida, então por que ainda insistem em fabricar casamentos? Continue Reading

Popcorn

Santa Clarita Diet: Drew Barrymore + comédia + zumbis!

14 de Abril de 2018

Categoria: Seriado;
Duração dos episódios: 30 minutos;
Roteiro: Victor Fresco;
Sinopse: Sheila (Drew Barrymore) e Joel (Timothy Olyphant) são dois corretores de imóveis que compartilham muito mais do que a mesma profissão. Casados e com uma filha adolescente, eles estão descontentes com a vida que levam em Santa Clarita, no subúrbio de Los Angeles. O destino deles começa a mudar quando Sheila passa por uma mudança radical. (Filmow)

Continue Reading

Rádio RM

Playlist: Músicas para mandar indiretas para o crush #2

13 de Abril de 2018

O dia do beijo chegou e você está aí dando like em todas as fotos do crush pra ver se ele te nota, né não? Antes de mais nada, nós já publicamos uma playlist com 20 músicas para mandar indiretas para o crush. E, até hoje, é o post mais acessado aqui do blog e TODO DIA tem gente de olho nele. Dessa forma, pensamos em dar uma atualizada nessa lista e te ajudar aí nesse dia do beijo, preparamos essa segunda edição de indiretas para o crush. Lembrando que essas músicas foram escolhidas a dedo para te encher de inspiração e fazer você parar de enrolar para tomar a iniciativa.

Portanto, vem com a gente, solta essa voz aí ao som de “I want you to want me” e manda a real para o/a crush e agiliza essa história aí. Afinal, se for para só ficar mandando indiretas, ninguém vai sair do lugar! Mas, chega de conversa e vamos para as músicas:

Continue Reading

Ctrl C Look

Hanna Marin: o figurino “parece complicado, mas não é”!

12 de Abril de 2018

 Pretty Little Liars é uma série que acompanha um grupo de adolescentes e melhores amigas: Spencer Hastings, Aria Montgomery, Hanna Marin e Emily Fields. Porém, um ano antes, o grupo era um quinteto. Alison, a antiga líder do grupo, desapareceu sem deixar rastros. Todas as garotas guardam vários segredos que só Alison conhece. De repente, elas passam a receber mensagens misteriosas assinadas por uma letra: A. E começam a suspeitar que Alison esteja viva em algum lugar ali perto. Apesar de ter um contexto bem adolescente, a série é um mistério e tanto. Mas, como essa categoria é para debater o figurino das personagens, vamos ao que importa! Eu já até falei um pouquinho da Emily, que tem o guarda-roupa mais prático da série. Se você quiser conferir, basta clicar aqui!

Continue Reading

Favoritando

Para se apaixonar: 6 personagens femininas

11 de Abril de 2018

Se tem uma coisa que as pessoas fazem atualmente é ver filmes e séries, né? Nós aqui da equipe não somos exceção. Pelo contrário, somos loucas viciadas que maratonam uma temporada inteira em 24 horas. E, assim como todos os fãs, também passamos um bom tempo suspirando por inúmeros personagens apaixonantes. Portanto, queremos compartilhar as 6 personagens femininas que são encantadoras. Cada uma da sua maneira. Seja no excesso de charme ou na personalidade forte. Porém, todas elas tem algo em comum: são exemplos de determinação! Afinal, não tem nada mais apaixonante do que uma girl power. 

Antes de mais nada, se você também quiser conferir nossa lista de 6 personagens masculinos, clique aqui! Agora sim, confira as escolhidas:

Continue Reading

Para amar

MMPB: Música Machista Popular Brasileira

10 de Abril de 2018

Semana passada, apareceu uma publicação na minha timeline, da página “Guardei no armário“. Nessa postagem, o Samuel divulgou um site chamado MMPB: Música Machista Popular Brasileira. Só o nome do projeto já me conquistou de cara e eu corri para conhecê-lo. Primeiramente, preciso deixar claro que esse não era o post programado para hoje. Mas, como se trata de um projeto incrível e necessário, precisei falar sobre ele com urgência. 

Continue Reading